Ser acusada de piranhagem por um conhecido. O machismo nosso de cada dia.

Esses dias um conhecido me veio com conjecturas a respeito do meu passado, dos meus relacionamentos e baladas, ouvi coisas do tipo:

Deve ter dado pra todo mundo.

Cada balada era uma foda, né.

Bem que me avisaram.

Bem ainda que tivesse sido assim, eu 41 anos, solteira convicta, independente, pós graduada, devo satisfação do meu passado a quem? Fiquei pensando…

E isso vindo de uma pessoa com um histórico bem peculiar:

Abandonou a esposa do 1o casamento ainda grávida e cagou, não acompanhou sequer o crescimento do filho.

Traia a esposa do segundo casamento com prostitutas, e usava isso também para magoá-la quando ela não queria ter relações com ele.

E o que dizer sobre utilizar os serviços de uma prostituta? Não sou contra a prostituição, mas acho que nenhuma delas faz isso feliz, todas gostariam de largar essa vida, todas sofrem agressões físicas e psicológicas. E o cara que vai lá, deveria ter consciência que aquilo é um estupro consentido, em troca de dinheiro, em troca de sobrevivência, ou seja, ele está se utilizando da necessidade de uma pessoa, para obter satisfação.

E esse cara ainda se acha no direito de julgar as minhas baladas da juventude. Isso é o machismo. É o “Eu posso, sou homem.”.

8575981539_9f7975fec0

Anúncios

Como ser uma desempregada feliz – parte II

No post anterior faltou fazer uma menção importante:

Durante o tempo de assalariada infeliz, arranje um hobby. Porque senão ninguém aguenta essa fase.

Acontece que esse hobby vai virar paixão, e vai te deixar mais infeliz, momentaneamente. Porque ele vai fazer você sofrer cada minuto que passa trancada dentro do escritório, vai fazer você sonhar com montanhas e ar puro, liberdade. Tipo passarinho em gaiola.

Reserve. Vai ser utilizado mais tarde.

crap_n

Como ser uma desempregada feliz – parte I

Primeiro seja uma empregada extremamente infeliz por uns 10 anos. Mas guarde cada centavo que conseguir. Vá pra balada de busão. Tome cerveja barata. Vista roupa da Leader.

Depois consiga ser menos infeliz achando que gosta do que faz. Lembre-se que uma mentira contada mil vezes se torna uma verdade. Não sei quem disse isso, mas concordo. Continue guardando cada centavo.

Quando for uma assalariada feliz e bem sucedida, já nos seus 40 anos, achando que vai se aposentar naquele emprego que você finalmente é reconhecida e valorizada, seja mandada embora por um filho da puta.

Desempregada pela primeira vez na vida, depois de 18 anos de carreira, se desespere e aceite o primeiro emprego que aparecer.

Se foda muito porque esse emprego é horrível, longe, e você passa 5 horas do teu dia no trânsito, tuas míseras felicidades passam a ser comprar e comer, ou seja, consumir.

Engorde, fique um lixo, recalcada, ataque todos os teus amigos felizes porque eles não entendem o inferno que você está passando e ficam te mandando reclamações de problemas que você gostaria de ter.

Finalmente, depois da ajuda da fada psicóloga, peça demissão mesmo sem nenhum emprego em vista.

Com o dinheiro que guardou, faça as contas de quanto tempo consegue se manter.

E aí começa a descoberta da verdadeira felicidade…12928215_10153385897347854_557438876987558959_n

Essa fórmula é muito suscetível a falhas.